Sem licitação, Santo André compra kits para usar na pré-escola

Três mil e oitocentos kits educacionais foram adquiridos pela Prefeitura da cidade de Santo André sem licitação pública que custará R$ 1,5 milhão ao município. Segundo a Secretaria de Educação, a empresa fornecedora é a única que comercializa o material pedagogico, composto por diversos jogos de raciocínio.

“Somente a Mind Lab Brasil possui esse sistema de aprendizagem, conhecido como Jogos de Israel (leia mais ao lado)”, justificou a secretária da Pasta, Cleide Bochixio, que conhecia a proposta pedagógica desde 1999 quando fez curso de formação.

“Em 2010, quando nos procuraram, reconheci o trabalho e avaliamos que seria ferramenta importante para o desenvolvimento dos alunos da pré-escola. A Educação Fundamental já tem o projeto Formadores do Saber”, acrescentou.

A Rede Metodista de Educação, que usa a ferramenta, disse que contratou a mesma empresa por ser a única no Brasil.

No total, 3.850 crianças de 4 e 5 anos da rede pública de Santo André ficarão três dias sem aula por conta da capacitação de 152 professores de 25 escolas, que se interessaram no projeto. As atividades irão até amanhã, no Centro de Formação de Professores.

Cleide Bochixio garantiu que pais e professores foram avisados com antecedência e que não haverá prejuízo no ensino. E não haverá a necessidade de reposição, uma vez que na Educação Infantil não se estabelece número mínimo de dias letivos.

“O projeto foi apresentado em 2010 para diretores e pais. Será ferramenta a mais para a pré-escola e a formação dos professores é essencial para a aplicação”, explicou Bochixio, ontem, presente no primeiro dia de formação. A primeira reunião ocorreu no dia 18 de junho de 2010, conforme documentos apresentados à equipe do Diário.

Sandra Garcia, diretora pedagógica da empresa, explicou que o professor tem a função de mediador. “No ambiente escolar, o professor é quem tem a capacidade de provocar na criança uma reflexão a partir de situações vivenciadas nos jogos, transferindo-as para o cotidiano delas”.

Projeto criado em Israel é adotado em diversos países

O projeto Mente Inovadora, que será aplicado nas crianças de 4 e 5 anos da rede municipal de Santo André, foi criado a partir das ideias do educador romeno Reuven Feuerstein, que desenvolveu o método com crianças sobreviventes do Holocausto que apresentavam dificuldade para aprender.

Hoje, mais de 40 países utilizam o sistema, também conhecido como Jogos de Israel, que se estrutura a partir da figura do professor mediador e utiliza jogos de raciocínio para desenvolver diversas habilidades como: cognitiva, que estimula a criança a refletir, levando-a à autonomia; sociais; emocionais, tornando-as mais autoconfiantes; e éticas.

Algumas unidades da Rede Metodista de Educação adotaran a ferramenta. “É um trabalho reconhecido internacionalmente, que vai ao encontro do nosso projeto pedagógico. Pretendemos ampliar para todo o Fundamental”, disse Débora Castanha, diretora em São Bernardo, onde há 550 estudantes entre 4 e 12 anos que usam os jogos, desde agosto.

A educadora Quézia Bombonatto, presidente da Associação Brasileira de Psicopedagogia, ressaltou que não deve ser usado de maneira isolada. “No País, era utilizado em consultórios psicológicos para crianças com dificudade de aprendizagem. Agora, é adotado nas salas de aula. Mas precisa ser associado a outras ferramentas”, disse a psicopedagoga.

Fonte: Diário do Grande ABC




1 resposta

  1. Katia 19 de maio de 2011

Deixe seu comentário